explicações

ilustração | igor mudrov

 

 

não se casou nem teve filhos.

no fundo, você ainda quer ser a filhinha do papai, o psicólogo se viu obrigado a dizer, quando as tentativas de induzi-la a chegar a essa conclusão falharam.

ela olhou com raiva para ele, mas no íntimo sentiu um poço se abrir ainda mais dentro de si: onde era o fundo daquela água e, mais importante, o que aconteceria se mergulhasse: conheceria a si mesma ou se afogaria?

era talvez a explicação para a carência sofrida que nutria em relação aos homens — substitutos pálidos do pai a quem ela amava e o motivo secreto pelo qual usava uma voz infantil para se dirigir a eles.

deixou o consultório decidida a não mais voltar — ligaria depois desmarcando a consulta da próxima semana e o contrato de longo prazo, algo a ser resolvido por telefone, por que não? —, como se a culpa fosse dele, por ter sido tão preciso.

 

6 comentários sobre “explicações

    • paulopaniago 12/07/2012 / 14:04

      vocês quem, cara pálida? haha, brincadeira. mas, hum, não sei. cada vez penso mais a respeito dos arquétipos. até em escrever um livro a respeito deles na literatura…

      Curtir

  1. tfc 12/07/2012 / 11:53

    que texto forte. e belo, belíssimo! só um comentário: o narrador questiona se, após o mergulho, a personagem se afogaria ou passaria a se conhecer. posso estar enganada, mas eu acho que o autoconhecimento passa pelos dois, deixar algumas coisas morrerem para outras florescerem mais fortes. e seu texto mostrou muito bem que o “óbvio deve ser dito” (essa frase repetida à exaustão, cujo autor eu desconheço) e que as maiores verdades geralmente têm um grande poder de supreender àqueles que precisam delas. beijo!

    Curtir

  2. vanessaaquino 13/07/2012 / 4:56

    quando coloquei o “temos” pensei logo no “nós quem, cara pálida?” e fiz de propósito. hahaha! ah, o tema arquétipos é muito interessante mesmo, não é?! e seu texto muito instigante, aliás. beijo.

    Curtir

    • paulopaniago 13/07/2012 / 10:35

      arquétipos, muito interessante. o resumão da vida. por jung e adjacências. vou escrever um dia a respeito, você vai ver. beijo.

      Curtir

deixe um comentário ou um desaforo

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s