motivos

foto | ernst haas

 

 

— por que você escreve? — perguntam sempre.

dez respostas possíveis:

1. para ouvir essa pergunta e porque não tenho resposta para ela.

2. para discordar. de mim mesmo, do mundo, dessa pergunta.

3. para tentar entender. o mundo, eu mesmo e por que essa pergunta existe.

4. para dar vazão à fantasia. criar o mundo e personagens, me recriar, criar perguntas alternativas.

5. para me torturar. por não ter ideias, não saber para onde vai a história, não ter resposta para a pergunta a respeito de por que escrevo.

6. para ter prazer mental enquanto escrevo (às vezes, bem raramente).

7. para manter a esperança de que um dia o prazer aumentará.

8. para não ser lido nem comentado. e fingir que não ligo.

9. porque sem escrever eu estaria morto.

10. para ser lido. por mim mesmo, por algum leitor. para ouvir do leitor que as palavras mexeram com ele. ouvir isso mexe comigo. por isso escrevo.

 

8 comentários sobre “motivos

  1. vanessaaquino 14/07/2012 / 9:47

    então escreva. sempre escreva, mais e mais! e satisfaça leitores apaixonados, assim como eu, com essas doses diárias e viciantes de desaforos tão bem traçados. beijo.

    Curtir

  2. mirian oliveira 14/07/2012 / 9:55

    “10. para ser lido. por mim mesmo, por algum leitor. para ouvir do leitor que as palavras mexeram com ele. ouvir isso mexe comigo. por isso escrevo.”

    o motivo para eu ler algo ou alguém é porque a escritura mexeu comigo. caso contrário, viro as costas e não volto mais ali. você, narrador deste blog, é um dos poucos para os quais estou sempre voltando (igual a machado de assis, meu ídolo!). nem me interessa saber porque você escreve. só desejo que continue. desassossegar é preciso; viver não é preciso… eu acho.

    Curtir

    • paulopaniago 14/07/2012 / 11:09

      fico feliz de ler isso que você escreveu, mirian. a atividade é um tanto solitária (escritores são onanistas profissionais) e às vezes dá a sensação de estar como habitante de uma ilha deserta. de modo que saber que tenho dois leitores, ou três, talvez, me deixa muito contente.

      Curtir

  3. carol 14/07/2012 / 16:20

    faz lembrar respostas de um amigo ao dilema: o que fazer com livros amontoados nas domésticas estantes?

    se me permite, acrescento do genial manoel de barros, que “significar reduz novos sonhos para as palavras”. ou que “escrever absurdez aborta o bom-senso”. ou ainda que “desenho da voz na areia é verbal de ave”. tudo propositadamente do livro escritos em verbal de ave (editora leya, 2011). homenagem a bernardo, o mágico inventor de desobjetos.

    logo arrisco, escrever é um dislate encantador e viciante. e você faz maravilhas em despautério. continue, sem pudor. o pessoal agradece.

    Curtir

    • paulopaniago 14/07/2012 / 19:42

      puxa, carol, obrigado por palavras tão carinhosas e generosas. “dislate encantador e viciante”, haha, fiquei me achando. e bom saber que você também escreve coisas ótimas no seu blog francesudo no nome e muito mineiro brasiliense na concepção e produto. beijo.

      Curtir

  4. stephanie 25/08/2012 / 22:10

    observei daqui um pequeno grande detalhe. quando teus leitores lhe proferem elogios, tu acabas respondendo elogiando — o elogio concebido a ti. e isso é tão raro. essa forma cortês com que tu tratas os teus leitores. acima disso, esse contato que tu fazes questão em ter com teus leitores. dar-lhes atenção, seja pra que lá comentários irão fazer. é admirável ver isso em ti. eu sei que já estou parecendo uma harpa dourada que fica lhe cantando elogios ao pé de seu ouvido, mas de verdade, tu és um dos poucos homens vivos que eu admiro por inteiro. por mesclar tantos predicados fascinantes. e isso te faz uma pessoa linda. e tu és lindo, paulo p. lindo em todos os sentidos. ou como já havia dito, lindo em todos os lados de um poliedro. enfim, é isso. um beijo.

    Curtir

    • paulopaniago 26/08/2012 / 0:36

      se o objetivo era me deixar absolutamente encabulado, você conseguiu, stephanie. mas posso te assegurar que é bem diferente disso, não sou nada lindo, nem por fora nem por dentro, tenho mil defeitos, como todo mundo, aliás. mas confesso que fico bem feliz de ouvir seus elogios, mesmo sabendo que são exagerados. outro beijo para você.

      Curtir

deixe um comentário ou um desaforo

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s