introspecção

 

 

há dois tipos de mergulhos introspectivos na literatura. vou chamá-los de reflexivo e narrativo.

em um, a introspecção funciona em si mesma, o pensamento é mostrado como exercício imaginativo, são atletas a exibir músculos intelectuais. acontece, por exemplo, em sebald, em o amante, de marguerite duras, em cidade aberta, de teju cole.

em outro, a introspecção serve a algum propósito dentro do caminho da trama. a reflexão aparece para ajudar a compreender algo específico, mas esse algo é subalterno a toda uma construção conceitual que se pretende atingir. jennifer egan, ian mcewan estão nessa categoria.

fato é que os escritores escolheram a solidão, fizeram um pacto com ela.

 

deixe um comentário ou um desaforo

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s