contador

 

 

o sujeito contava histórias mórbidas, uma atrás da outra. ele era uma máquina de fabricar histórias, mas todas terminavam mal, com os personagens sem as mãos, ou asas, se fossem pássaros, ou sem cabeça e a vida, independente da raça.

até que um dia o sujeito não apareceu mais em nosso bar para nos contar histórias mórbidas e detesto ser o portador de más notícias, mas ele foi encontrado num beco, as mãos e a cabeça decepados.

 

deixe um comentário ou um desaforo

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s