outra língua

frascos

 

 

há algo nessa língua, ele pensou, que é certeiro e não permite qualquer hesitação. estava num país estrangeiro e foi isso que observou, o modo direto como as pessoas usavam a língua, em staccato, percussiva e algo autoritária. talvez fosse a personalidade da nação, todos nascidos para brigar em caráter permanente pelo direito de estar no mundo — o que, ele sabia, denunciava de certa forma o receio de que as coisas não fossem bem assim. sua língua natal, por sua vez, pensou, permitia hesitações, vacilos, subentendidos sugeridos no que não era dito, mas também um tom carinhoso e inclusivo, o que talvez também podia ser um truque para esconder algo de lateral na personalidade daquela nação. mas o que sei eu? isso foram coisas que ele pensou sozinho e a mim coube apenas relatar.

 

6 comentários sobre “outra língua

  1. patrícia leite 25/03/2013 / 12:47

    não há, ao meu ver, poesia em línguas que não têm interditos, sem tom carinhoso e inclusivo. mas a língua desse povo de quem você fala não tem poesia em lugar algum. tudo gira em torno de cifras. o ter sobreposto ao ser e ponto. é triste isso.

    Curtir

    • paulopaniago 25/03/2013 / 13:12

      discordo. uma das melhores poesias que li é da emily dickinson. gosto muito de wallace stevens e do w.h. auden, além de achar a poesia da elisabeth bishop uma das mais qualificadas. não gira tudo em torno de cifras, mas de emoções e sentimentos, além de pesquisas com linguagem…

      Curtir

      • patrícia leite 25/03/2013 / 13:20

        meia dúzia de exceções que só confirmam a regra? claro que não! mas cabe uma explicação. eu não estava me referindo às elaborações textuais formais de bons autores. estava me referindo à sonoridade da língua, à cadência da pronúncia, à poesia do próprio curso da palavra em si mesma. as palavras correm, com a mesma pressa em que o capitalismo anda, não têm a “preguiça gostosa do linguajar do interior”. mas tudo isso é só o meu ponto de vista. e como raramente concordamos, meu caro autor… você, certamente, vai discordar novamente.

        Curtir

      • paulopaniago 25/03/2013 / 14:14

        bem, só pra discordar de você, dessa vez eu concordo.

        Curtir

  2. mirian oliveira 04/04/2013 / 5:33

    não tinha lido coisa alguma do wallace stevens até você deixar a dica. olha o cara:

    “autores são atores e livros são teatros”…

    Curtir

deixe um comentário ou um desaforo

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s