a vida não é fácil, nina

foto | alfred wertheimer
foto | alfred wertheimer

 

 

mesmo tendo sido agraciada com um tipo privilegiado de voz, rascante, que até hoje pode ser escutada e provoca efeitos inesperados, a imagem que resta de nina simone é a de uma mulher grave que dificilmente sorri. por exemplo, outro dia me deparei com a série de fotos tiradas por alfred wertheimer em dezembro de 1964, geralmente nos bastidores das apresentações — do que vi, apenas uma foto a mostrava no palco, sentada junto ao piano, num teatro ou sala de espetáculos que parece sensacional, ela de costas. o semblante está sempre sério, sóbrio, eu diria mesmo que melancólico e vendo as fotos me dá vontade de poder dizer a ela, vem, descansa um pouco sua cabeça no meu ombro e me diz se tem algo que eu possa fazer para te alegrar. afinal, com essa sua voz, eu diria também, você devia estar bem feliz. talvez ela sorrisse. na minha imaginação é o que ela faz.

 

8 comentários sobre “a vida não é fácil, nina

  1. aurea cristina szczpanski 20/11/2013 / 10:11

    eu me lembro da primeira vez em que ouvi nina simone: foi um pasmo, ou um espasmo de alma, sei lá… levei um susto daqueles que se leva diante do extraordinário. a canção era nes me quitte pas… depois vieram as outras… e a tristeza da voz dela me deixa com saudades de alguma coisa…

    Curtir

    • paulopaniago 21/11/2013 / 8:18

      pois acho que a música de nina simone que não funciona bem é exatamente ne me quitte pas e não se trata daqueles purismos de só querer essa música com piaf etc. etc. é por conta do forte sotaque da nina, que me incomoda (lembra-se de cássia eller cantando em francês? ela parecia ter nascido lá, ou talvez meu ouvido não consiga perceber sotaque brasileiro, haha). fora isso, nina é tudo isso o que você diz e definiu muito bem, deixa com saudades de alguma coisa…

      Curtir

      • aurea cristina szczpanski 21/11/2013 / 8:26

        ah, adoro a cássia cantando non je ne regrette rien e aí não deve nada a piaf porque é outra coisa. é que ne me quitte pas foi meu primeiro contato com a voz da nina. com sotaque ou não, foi chocante!

        Curtir

      • paulopaniago 21/11/2013 / 8:52

        você tem razão. a voz dela é mesmo um grande choque. ainda bem para nós.

        Curtir

    • paulopaniago 23/11/2013 / 12:19

      que ótimo, cris. ela merece, mesmo, com aquele vozeirão todo. beijo grande também.

      Curtir

deixe um comentário ou um desaforo

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s