desaforismos (segunda temporada): 28

pães

 

 

280. as melhores palestras são as que estimulam o pensamento. o que se escuta melhor é o pensamento, não a palestra.

281. louco, um bêbado permanente.

282. o homem, cadáver ambulante à espera do ponto.

283. a palavra do profeta está sempre de olho no futuro.

284. arqueólogos capazes de escavar as verdadeiras ideias do passado mostrariam a verdade a respeito de historiadores, esses charlatães.

285. curioso (lastimável) que meu cérebro precise arrastar ossos e células que fazem o tecido de um corpo —- que além de tudo devo considerar próprio.

286. uma metade é o real. a outra, o pensamento.

287. xamã é o sujeito que consegue dar pausa na vida.

288. deus e amor: ninguém vê ou entende, mas grande parte das pessoas jura que existe.

289. é porque se é obrigado a pensar dentro da língua —- essa estrutura arbitrária —- que o pensamento tem dificuldade de ser livre.

 

2 comentários sobre “desaforismos (segunda temporada): 28

deixe um comentário ou um desaforo

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s