desaforismos (segunda temporada): 31

foto | kevin corrado
foto | kevin corrado

 

 

310. o paradoxo do tango: uma dança para celebrar o vigor da vida e a rigidez da morte.

311. o infinito é a megalomania de deus.

312. fé, o argumento dos tolos.

313. todo histriônico no fundo não passa de um irrelevante, inconformado com a situação.

314. velho: dificuldade para dormir; dificuldade para ficar acordado.

315. minha consciência é um conselheiro sem-vergonha; mesmo assim, só escuto a ela.

316. um dos caminhos para os desfuncionais é terminar na literatura.

317. o distraído é essa pessoa que acha que o mundo é seu domínio e se movimenta por ele à vontade, à espera de que objetos e pessoas se afastem.

318. portas e paredes existem para dar paz aos segredos.

319. os matemáticos que admitem o número infinito admitem a loucura.

 

Um comentário sobre “desaforismos (segunda temporada): 31

deixe um comentário ou um desaforo

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s