Futuro da literatura

fósforo

 

 

O palestrante convidado para falar a respeito de como a literatura pode se relacionar com novas mídias, um tema que começava a dar sinais de exaustão mas prosseguia sendo agendado para todos os encontros, feiras, congressos, bienais, enfim, sempre que escritores eram chamados para propagandear ideias e textos para públicos cativos ou potenciais. A certa altura da exposição, o palestrante sugeriu que se escrevesse um texto na tampa de uma caixa de fósforos. Pensei em duas coisas. A primeira era que para alguém convidado a falar a respeito de novas tecnologias, a metáfora da caixa de fósforos parecia algo deslocada. A outra foi que não seria má ideia, no fim das contas. Usa-se a tampa da caixa de fósforos, escreve-se sobre o papel com as informações sobre marca, fabricação etc., depois acende-se um deles e coloca-se fogo da caixa, impedindo a posteridade de ler o tamanho da bobagem que custou afinal tão pouco espaço para ser perpetrada.

 

4 comentários sobre “Futuro da literatura

deixe um comentário ou um desaforo

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s