Guerra interna

Foto | Tim Ronca
Foto | Tim Ronca

 

 

Ele tinha sido um sujeito assustadiço no começo da vida. Mais tarde, tornou-se introspectivo e por último podia ser visto como alguém cheio de brusquidão e amargura. É difícil imaginar o que as pessoas atravessam e como são afetadas pelo concreto das relações humanas. É fato que esteve num pequeno barco que deslizou bem próximo de um jacaré, mas e daí?, se você pensar bem, isso talvez não signifique muito. Até mesmo essas definições são limitadas e não conseguem delinear a quantidade de emoções ou a variedade de pensamentos. Soube que ele havia estado numa zona de guerra, fui a um jantar em sua homenagem e conversamos de forma breve. Eu estava fumando na varanda, contemplava as luzes da cidade e pensava a respeito das pessoas e das vidas irrefletidas que levavam. Ele se aproximou e começamos a conversar.

— Deve ser difícil voltar da guerra e se engajar em atividades sociais, como jantares — comentei.

— Pois é — ele assentiu —, muito.

Então me filou um cigarro e fumamos um pouco em silêncio.

— Chegou a matar alguém? — perguntei, depois de um tempo, mesmo sabendo que era o que todo mundo devia perguntar.

— Não, eu estava encarregado de organizar a distribuição de alimentos. Sou da área de logística.

— Entendo — eu disse, mas não entendia coisa alguma, a não ser o fato de que ele não havia matado alguém. Qual o sentido de ir para a guerra, nesses termos, eu me abstive de perguntar, mas fiquei com vontade. — Quer dizer que a guerra foi algo distante.

Ele deu uma tragada. Olhou para a cidade, depois para mim, como se eu fosse estúpido. Talvez estivesse certo.

— É possível ver muita merda, eu vi muita merda. A guerra externa pode ser bem feia, mas as guerras mais terríveis acontecem dentro das pessoas.

Sério que ele tinha dito um absurdo daqueles? Para quê, santo Deus, alguém diria uma bobagem daquelas? Acontece que tempos depois eu ainda estava pensando a respeito do assunto e me lembrava da voz rouca dele pronunciando aquelas palavras, as guerras terríveis dentro das pessoas. Parecia bom, depois de um tempo. Parecia realmente impactante.

 

deixe um comentário ou um desaforo

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s