Se tiver de ser assim 3

Arte | Eric Lacombe
Arte | Eric Lacombe

 

 

Se eu tivesse que lembrar todas as vezes que nós meu vizinho e eu nos ignoramos fechamos rapidamente a porta de casa quando a do elevador se abre para o outro sair eu estaria no sal. O nosso é um jogo silencioso de esquivas o boxe da defesa infatigável. Somos o monstro da perturbação recíproca — mediados pela parede que nos separa produzimos o barulho que será o tormento um do outro. Achamos melhor nos tratar como inimigos respeitosos do que nos afligir mutuamente com uma amizade improvável que apenas ressaltaria nossas gigantescas diferenças de opinião e nosso constrangimento para fingir que partilhamos alguma opinião apenas para evitar que a discussão degringole para agressão mútua um ao pescoço do outro. Meu vizinho me desafia com música sertaneja devolvo com Bach no último volume acirramos nossa postura de inimigos não declarados incapazes de nos enfrentar em arena mais propícia onde pudéssemos usar luvas e protetores bucais. Ele grita gol nos intervalos em que meu time perde eu grito de volta quando é o dele que perde claro que até nisso somos adversários jamais acharemos consenso e se porventura algum se apresentar vai causar mais dissabor do que nos aproximar e daremos um jeito de encontrar divergência. Não queremos proximidade além da parede que nos divide: dele aceito a cabeça ou o fígado se possível numa bandeja de prata. Nossas rabugens se alimentam das picuinhas que sabemos atiçar um contra o outro. Meu vizinho meu inimigo declarado é o que me mantém vivo com a bile em ebulição. Prefiro ligar para a polícia e denunciar o barulho que vem de sua casa do que ligar para a minha mãe e perguntar as trivialidades filiais que me sinto na obrigação de cumprir dia sim dia não. Ninguém mexe um dedo para ajudar. Roubo o jornal deixado na porta dele valho-me da falta de câmera no corredor. Ele reclama ao porteiro que dá de ombros não sabe o que está acontecendo não quer se envolver pode ser os meninos do andar de cima. Desconfio que ele deu jeito de se vingar e se apropriou de parte da minha correspondência que não recebi: deve ter queimado tudo só de pirraça. Nos alimentamos nessa guerra de silêncios que um dia vai nos matar ou vai nos distrair até que alguma outra coisa nos mate.

 

3 comentários sobre “Se tiver de ser assim 3

  1. ana paula resende 05/05/2015 / 0:09

    prof… algum motivo especial para a ausência de vírgulas?
    essa opção me causou uma série de efeitos durante a leitura dos 3.

    Curtir

    • paulopaniago 05/05/2015 / 8:54

      O motivo era justamente este, causar efeitos. Eu havia escrito os três com todas as vírgulas em todos os lugares (e eram muitas). Decidi tirar para ver o que acontecia, sobretudo por conta da entonação contínua, como se fosse o fluxo de pensamento, sem pausas…

      Curtir

  2. ana paula resende 05/05/2015 / 15:49

    então foi o que eu imaginei… =)
    infelizmente para mim teve efeito contrário, porque a fluência do texto ficou prejudicada. precisei de instantes para processar alguns trechos sem as vírgulas, de forma que a leitura ficou menos dinâmica, mais lenta.
    parabéns pelo trabalho!

    Curtir

deixe um comentário ou um desaforo

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s