Na verdade, eu minto

Imagem | Johannes Moreelse
Imagem | Johannes Moreelse

 

 

A invenção me salva de mim mesmo, ela disse, tentando esconder um sorriso, sem muito esforço, me pareceu. Queria mostrar que estava contente, talvez orgulhosa, com a frase reveladora pronunciada. Era a senha para dizer a verdade: todas as histórias que vinha me contando eram falsas, no todo ou em parte. Me virasse para descobrir onde era o quê. Sempre desconfiei muito dessas pessoas que alegam dizer só a verdade. Se a pessoa acredita nisso deve estar com um tipo muito sério de distúrbio, espécie grave de delírio fatal. Quando, no entanto, a pessoa diz não se importar muito — melhor ainda quando diz não se importar em absoluto — com a verdade, começo imediatamente a relaxar e me ponho à vontade. Acontece de dizer para mim mesmo então que estou em meu elemento natural.

 

6 comentários sobre “Na verdade, eu minto

  1. Noeli 12/06/2015 / 8:12

    Não é questão de mentir, mas de selecionar o que vai dizer.

    Curtir

  2. M.Raydo 13/06/2015 / 1:45

    Aprendi a ser assim: 90% é mentira e o resto é palavrão! Um dia eu chego lá!

    Curtir

deixe um comentário ou um desaforo

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s