Sobre tempestades

geleira

 

 

Erguer o olhar para tempestade que se arma no horizonte. Encará-la a sério, como se fosse possível, apenas com o poder do olhar, dissolver o avanço da tempestade. Não é possível, mas isto já se sabia, mesmo que se tenha concentrado com seriedade na manutenção do olhar furioso direcionado a ela. Se fosse um relato de Kafka, algo muito estranho, inquietante e inesperado já teria acontecido: sentir-se molhado antes mesmo que a tempestade desabasse, por exemplo. Ou sentir-se molhado sem que haja qualquer nuvem no céu ou qualquer tempestade à vista. O mundo não é um lugar reconfortante. Há muitos recessos e campos abertos para a entrada do medo ou mesmo do desconforto. Ainda assim, dei uma resposta que achei interessante quando me perguntaram se não tinha medo de sair à noite. Não, eu disse, eu sou a razão pela qual as pessoas têm medo de sair à noite. Assim parecia melhor. Queria sentir que posso desmanchar a tempestade simplesmente olhando para ela.

 

5 comentários sobre “Sobre tempestades

  1. Thaís Figueiredo 16/06/2015 / 10:44

    Adorei o texto e me identifiquei profundamente com ele (com exceção da parte de ser a a razão pela qual as pessoas não saem à noite, claro, não sou tão perigosa assim, hahaha).

    Quando há disposição interna para tempestades, a calmaria é coisa tenebrosa. O medo de se acostumar com o céu límpido é quase pior que ficar encharcado pela chuva. Como não dá para desmanchar tempestade com o olhar, o jeito é todo dia fazer surgir um nova, incorporar a tempestade à rotina para não ser surpreendida, certo?

    Carrego minha nuvem negra no guarda-chuva.

    Dias ensolarados me atormentam.

    P.S.: Modéstia à parte, que belos títulos acabei de criar, hahahaha.

    Beijos enormes e trovejantes 🙂

    Curtir

    • paulopaniago 16/06/2015 / 10:51

      Sim, o texto é para pessoas “perigosas”, que fazem os outros sentirem medo de sair de casa à noite. Sim, calmaria é o terror. Sim, os títulos são ótimos.

      Curtir

      • Thaís Figueiredo 16/06/2015 / 11:00

        “I am not in danger, I am the danger” – WHITE, Walter

        Curtido por 1 pessoa

deixe um comentário ou um desaforo

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s