CONTÍCULOS (148) Qualquer semelhança

 

 

Como se fosse um extraterrestre, desconectado dos meus dessemelhantes, julguei-me inumano, pós-humano, desumano. Meu coração puro pó, zero de solidariedade. Podiam me eleger representante do descaso, me dar medalha e salário, depois me esquecer num canto.

 

 

— Paulo Paniago