Os nomes

Foto | Elena Martyniuk
Foto | Elena Martyniuk

 

 

Chega um momento em que você se acostuma com o nome que tem, embora nunca falte oportunidade para se questionar de novo o que os pais imaginaram na hora de decidir como você seria chamado até o fim da vida. É o que anda pensando Geraldo. Ele acha que o nome envelheceu, que é um nome em desuso, impopular. Na escola, os amigos enchiam a paciência por causa da parte do seu nome que passou a ser uma gíria muito usada, com o significado de todo mundo. Geral vai para a festa, diziam, ou geral gosta de viajar. Geraldo sempre percebe a ironia que envolve esse nome que é sua insígnia no mundo nesses momentos. Um nome pode determinar quem ou o quê você será na vida, ele pensa, e embora deva estar se preocupando com coisas mais sérias, ele não pode deixar de pensar que há um mistério escondido na enunciação do seu nome, ao qual não consegue fugir. Mas Geraldo segue sendo Geraldo, pensando ou não a respeito do problema que o aflige, e a certa altura deixa mesmo de achar que aquilo é problema. Geral continua gostando de festa.